_____________________________________Adicione aos favoritos _______________________________________________________________________ Clique aqui ! . . . . . . . . . . . . . .

Esposa resolveu fazer programa//


O casal atravessando uma crise financeira brava. O marido falou pra mulher:

- Querida, não tem jeito. A única maneira da gente sair do sufoco é você fazer programa.

E a mulher:

- Mas querido, eu nem sei como se faz isso!

- Não tem problema eu te ensino - disse o marido.

- Vamos fazer o seguinte: Você fica à noite, numa esquina e eu me escondo

atrás de um arbusto. Qualquer dúvida você me pergunta, tá legal?

À noite, foram pra uma esquina, o marido ficou escondido atrás do poste e ela ficou esperando algum cliente. Passou uns dez minutos e apareceu um rapaz num automóvel e perguntou pra mulher:

- Você faz programa?

A mulher, meio sem jeito foi até o arbusto perguntou, em voz baixa pro marido:

- Benhê..., eu faço programa? E o marido:

- Diz pra ele que você faz programa!

Voltou pro carro e falou pro rapaz:

- Sim, eu faço programa.

E o rapaz pergunta pra mulher:

- E quanto você cobra?

A mulher voltou novamente para o arbusto e falou pro marido:

- Benhê, quanto eu cobro?

E o marido:

- Diga pra ele que 100 reais.

Foi até o carro e falou pro rapaz: 100 reais.

E o rapaz:

- 100 reais?... Puta merda!...eu só tenho 70.

A mulher voltou pro arbusto e disse pro marido:

- Benhê, ele só tem 70.

E o marido:

- Diga pra ele que, por 70, só uma pegadinha.

E a mulher falou pro rapaz

- Olha! Por 70 só uma pegadinha!!

E o rapaz: - Tudo bem! Entre no carro!

Quando a mulher entrou no carro ele desabotoou a calça e botou aquilo

tudo pra fora, a mulher falou pro rapaz:

- Espere um pouco, eu já volto.

Saiu do automóvel e foi até o arbusto onde estava o marido e perguntou:

- Benzinho, você não tem 30 reais pra emprestar pro rapaz???????????????

A diferença entre ter peito e ...//

Diferença entre peito e culhões ...

Viver Perigosamente.

Há uma distinção médica clara.
Quando ouvimos falar em alguém ter peito ou ter culhões, mas você sabe REALMENTE a diferença entre ambos?

Vamos tentar esclarecer onde eles se diferenciam:

PEITO - É chegar em casa tarde da noite, após uma balada com os amigos, e ser recebido por sua mulher segurando uma vassoura, e ter peito de perguntar:
"Ainda está limpando a casa, ou vai voar para algum lugar?"





CULHÕES - É chegar tarde da noite em casa, após uma balada com os amigos, cheirando a perfume e cerveja, batom no colarinho, e ter culhões de dar um tapa na bunda da sua mulher e dizer: "Você é a próxima, gorducha!"

Espero ter esclarecido qualquer confusão sobre as definições.

Porém, clinicamente falando, não há diferença no resultado.
Ambos terminam em morte.

Sapo chupador//

Um cara estava andando nas ruas do centro, quando viu um camelô com uma banquinha
vendendo sapos. Eram aqueles sapos grandes (Cururu). E havia uma placa que dizia:
SAPO CHUPADOR.

O cara perguntou:

- Que merda é esta?

O vendedor disse:

- É uma espécie de sapo especial, que eu desenvolvi e que chupa como ninguém.

O cara ficou desconfiado, mas como estava meio mal com a mulher e os sapos eram baratos, resolveu comprar um e levar para casa.

Foi mais cedo pra casa e no final da tarde quando a mulher chegou de volta do trabalho encontrou aquela cena: o cara estava na cama, pelado, com o sapo no ombro, de olho arregalado e lendo junto com ele um livro de receitas culinárias.

A mulher, irritadíssima, perguntou:

- Que porcaria é esta? Você na cama pelado com este sapo horrível no ombro e ainda por cima lendo um livro de receitas?

O cara olhou para mulher e disse:

- Se esse sapo aprender a cozinhar, você tá fudida!

Confiou no namorado e foi parar na internet//













A letra "P"//

A letra "P" - Apenas a língua portuguesa nos permite escrever isso:

Pedro Paulo Pereira Pinto, pequeno pintor português, pintava portas, paredes, portais. Porém, pediu para parar porque preferiu pintar panfletos. Partindo para Piracicaba, pintou prateleiras para poder progredir.

Posteriormente, partiu para Pirapora. Pernoitando, prosseguiu para Paranavaí, pois pretendia praticar pinturas para pessoas pobres. Porém, pouco praticou, porque Padre Paulo pediu para pintar panelas, porém posteriormente pintou pratos para poder pagar promessas.
Pálido, porém personalizado, preferiu partir para Portugal para pedir permissão para papai para permanecer praticando pinturas, preferindo, portanto, Paris.
Partindo para Paris, passou pelos Pirineus, pois pretendia pintá-los. Pareciam plácidos, porém, pesaroso, percebeu penhascos pedregosos, preferindo pintá-los parcialmente, pois perigosas pedras pareciam precipitar-se principalmente pelo Pico, porque pastores passavam pelas picadas para pedirem pousada, provocando provavelmente pequenas perfurações, pois, pelo passo percorriam, permanentemente, possantes potrancas.
Pisando Paris, pediu permissão para pintar palácios pomposos, procurando pontos pitorescos, pois, para pintar pobreza, precisaria percorrer pontos perigosos, pestilentos, perniciosos, preferindo Pedro Paulo precaver-se.
Profundas privações passou Pedro Paulo. Pensava poder prosseguir pintando, porém, pretas previsões passavam pelo pensamento, provocando profundos pesares, principalmente por pretender partir prontamente para Portugal. Povo previdente! Pensava Pedro Paulo... Preciso partir para Portugal porque pedem para prestigiar patrícios, pintando principais portos portugueses. – Paris! Paris! Proferiu Pedro Paulo.

Parto, porém penso pintá-la permanentemente, pois pretendo progredir. Pisando Portugal, Pedro Paulo procurou pelos pais, porém, papai Procópio partira para Província. Pedindo provisões, partiu prontamente, pois precisava pedir permissão para papai Procópio para prosseguir praticando pinturas.


Profundamente pálido, perfez percurso percorrido pelo pai. Pedindo permissão, penetrou pelo portão principal. Porém, papai Procópio puxando-o pelo pescoço proferiu: Pediste permissão para praticar pintura, porém, praticando, pintas pior. Primo Pinduca pintou perfeitamente prima Petúnia. Porque pintas porcarias? Papai – proferiu Pedro Paulo – pinto porque permitiste, porém, preferindo, poderei procurar profissão própria para poder provar perseverança, pois pretendo permanecer por Portugal.

Pegando Pedro Paulo pelo pulso, penetrou pelo patamar, procurando pelos pertences, partiu prontamente, pois pretendia pôr Pedro Paulo para praticar profissão perfeita: pedreiro! Passando pela ponte precisaram pescar para poderem prosseguir peregrinando.
Primeiro, pegaram peixes pequenos, porém, passando pouco prazo, pegaram pacus, piaparas, pirarucus. Partindo pela picada próxima, pois pretendiam pernoitar pertinho, para procurar primo Péricles primeiro. Pisando por pedras pontudas, papai Procópio procurou Péricles, primo próximo, pedreiro profissional perfeito.
Poucas palavras proferiram, porém prometeu pagar pequena parcela para Péricles profissionalizar Pedro Paulo. Primeiramente Pedro Paulo pegava pedras, porém, Péricles pediu-lhe para pintar prédios, pois precisava pagar pintores práticos. Particularmente Pedro Paulo preferia pintar prédios. Pereceu pintando prédios para Péricles, pois precipitou-se pelas paredes pintadas. Pobre Pedro Paulo pereceu pintando...
Permita-me, pois, pedir perdão pela paciência, pois pretendo parar para pensar... Para parar preciso pensar.
Pensei. Portanto, pronto pararei.


E a gente se acha o máximo quando dizemos: "O rato roeu a rica roupa do rei de Roma!"
 
____________________________________________________________